ax novinhaix

Filho do Sol

Filho do Sol

O papo de hoje no The Sun Gallery, é com o camaronês Gilles, filho do Sol e apaixonado pelo Brasil. Prova viva de que dá certo sobreviver fora do sistema 9h-18h e que a chave para isso é o autoconhecimento

Fui recebida pelo filho do Sol com uma caipirinha, no centro de São Paulo, no apartamento que divide com alguns amigos. Janelas para todos os lados, para não perder nenhum ângulo do Sol. No Brasil há 6 anos, Gilles veio de Camarões, do centro da África para ver o irmão que mora aqui há 10 anos. As quando chegou aqui, se apaixonou pela nossa terrinha. Perguntei o que o fez ficar aqui e ele disse: "O Sol do Brasil. O Brasil é lindo." Esse foi o fator principal, além da comida, música, praias e toda a variedade de coisas que temos no nosso cardápio.

Gilles - The Sun Gallery - 1 

Esse papo estava rolando enquanto ele preparava uma caipirinha, "Aprendi a fazer aqui, é meu drink favorito. E de limão, sempre com Velho Barreiro." Perguntei sobre onde aprendeu a ter esse gosto por caipirinha "A primeira vez que tomei foi na casa de amigos, e justamente estava um dia de Sol. Me apaixonei". Essa é a receita do sucesso segundo o Gilles, anota aí: "Sol, caipirinha e música."

Perguntei sobre o Sol de Camarões "O Sol de lá é lindo também, é o mesmo que aparece aqui, mas ele é menos agressivo do que em São Paulo. Aqui, ás vezes, sinto muito mais calor do que lá. Pode ser por causa da poluição, sinto que é mais abafado."  Pergunto como é lá, porque a gente tem a noção só do que vê pelos filmes, "Lá tem um grande diversidade cultural. Tem quase 280 e poucos idiomas nativos, porque tem influência europeia."

Gilles - The Sun Gallery - 2

Depois ele me convidou para sentar em sua janela, e admirar o pôr do Sol. E logo pergunto que história é essa de que ele é o filho do Sol, como ouvi falar, "Eu tenho uma ligação muito forte com o Sol, é vida para mim." O raciocínio que ele me apresentou a seguir é realmente convincente: "Meu coração bate por causa do Sol. Ele que me dá vida. Se ele me dá vida, portanto eu sou filho dele. Tem gente que fala disso como uma coisa religiosa, mas acho que é bem mais simples, como segurança, alegria." Pois então somos todos irmãos, filhos do Sol =)

Sobre sua família, estão espalhados pelo globo, Camarões, Marrocos, Estados Unidos e França. Com direito à visitas ao Brasil é claro. Não só moram um lugares diferentes, como também tem o costume de sempre viajar pelo mundo. "O povo africano é bem aventureiro. Eu me considero muito aventureiro. Topo qualquer coisa."

Esse espírito aventureiro requer muita independência, e isso reflete até na planta que escolheu para decorar o quarto: "Tenho um cacto, o adoro porque ele é bem assim, independente. Sempre esta aí, ele não precisa muito de você para viver. Ele tem um processo de invertido também, retém o gás carbônico à noite. Em meios secos ele sobrevive, é resistente e independente. Onde a maioria das plantas vai morreria, ele sobrevive, ele tem esse poder."

Gilles disse que eu humor fica sempre elevado com o Sol, e é da turma dos que gosta de sentir ele da hora que acorda: "As vezes eu durmo com as janelas abertas, justamente para quando acordar sentir a luz do Sol. E quando acordo assim meu humor fica lá em cima. Saio e venho até aqui, sento ali naquela cadeira, fico olhando a vista e tomando café da manhã. Com uma música sempre."

Mas nem sempre foi assim, ele já trabalhou por quase um ano em uma empresa de maneira formal, mas prefere levar a vida assim, à reparar no Sol quando acorda, e também quando ele se põe: " Prefiro fazer o meu tempo, poder acordar legal, sem estresse. Sem pressa. Sem acompanhar esse fluxo. Eu acordo às 9h e vejo um monte de gente indo, e daí você olha pela janela às 18h e tem um monte de gente voltando."

Realmente, eu do lado dele, numa varanda altíssima olhando o caos lá de baixo perguntei à ele se dá para fugir disso, ele sempre com um sorriso no rosto, e muita tranquilidade me diz: "Você que tem que fazer o seu dia, com tudo na vida o ideal é  quando você pode escolher. Mas para você escolher tem que ter uma bagagem. Ter alguma coisa para se apoiar pelo menos. "

Hum, mas como ter essa bagagem? Se tivesse um filho que dica daria à ele para ter essa bagagem? "Eu tenho um filho, e eu diria para ele ser ele mesmo. Na verdade é o que eu faço. Quando você procurar ser você e se aplicar no mundo, você não se arrepende muito das suas escolhas. Para mim uma coisa que simplifica a vida é tomar decisões sem se arrepender muito depois. E isso você consegue sendo você mesmo, sem ser alguma coisa que outro quer que você seja. E isso tudo faz você conseguir tomar decisões sem se arrepender. E quando você conseguir fazer isso vai vê que a vida é simples."

Bora praticar esse autoconhecimento? Agir com a própria verdade, sem contradições com seus valores, sonhos e também responsabilidades parece mesmo ajudar a não se ferir nessa caminhada, mas ele enfatiza: "É mas você tem que se conhecer. Eu procuro me conhecer bastante. Quando você se conhece, você sabe o que pode ser bom pra você. As vezes você comete um ato sem saber se aquilo é realmente bom pra você, e depois se arrepende. Quandovocê se conhece bem, não é que não vá errar, mas a probabilidade é bem menor. E aplicar na vida é isso, no dia a dia você leva dessa maneira, sendo feliz, porque não se arrependendo, e as pessoas a sua volta vão sentindo a sua felicidade, e vai se dar bem com todo mundo. Mas se não está, bem fica difícil passar felicidade para as outras pessoas. Tem você tem que estar bem com você mesmo."

Sobre s pessoas que o cercam Gilles consegue sentir essa felicidade, solaridade mútua. Mas quando pergunto sobre o geral em São Paulo, ele me diz que há uma concentração de estresse muito grande por aqui "A maior parte das pessoas aqui em São Paulo são bem estressadas, sp é uma cidade que não oferece assim uma diversidade natural, é cheia de prédios e isso pode complicar um pouco sobre o humor das pessoas." Ele acha que por ser uma cidade com um grande fluxo econômico, as pessoas então sempre preocupadas em ganhar dinheiro. "Tudo bem, é normal, não é que seja ruim. Mas quando você tem isso como foco, acordar para ganhar dinheiro, dormir pensando em dinheiro. Deixa de pensar em pequenas coisas que podem te fazer feliz."

E do nosso super sunset spot, ele aponta para a rua andares e andares abaixo: "Você pode ver agora, trânsito, um monte de gente voltando ao mesmo tempo, buzinando. De manhã é a mesma coisa, então a maioria vive isso. E eu aqui em cima olhando. Isso não quer dizer que eu não faço nada da vida, eu faço coisas para comer, viver, pagar as contas, mas não do mesmo jeito. Não sei como seria se não tivessem pessoas assim."

Para finalizar pergunto o que ele acha sobre o que é ser feliz: "Ser feliz é eu viver sem me preocupar com o que eu preciso fazer para estar rico, se a minha família esta bem, se eu estou bem, com saúde. E se eu estou bem a minha saúde segue. E o Sol me dá luz, esquenta meu coração.

Gilles - The Sun Gallery_1
3 receitinhas básicas para quem quer começar a usar óleo de coco

3 receitinhas básicas para quem quer começar a usar óleo de coco

Unhas fortes e saudáveis em 3 passos

Unhas fortes e saudáveis em 3 passos

0